Dás apoio a alguém que tem perturbação bipolar?

O QUE É A PERTURBAÇÃO BIPOLAR?

Segundo a Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, a perturbação bipolar caracteriza-se por alterações de humor drásticas. Alguém que tem esta patologia flutua entre estados de euforia e depressão extrema.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA PERTURBAÇÃO BIPOLAR?

Na perturbação bipolar as pessoas vão experienciar oscilações de sintomas de pólos distintos: mania/ hipomania (humor elevado ou irritável, com um aumento evidente da energia), e depressão (humor deprimido e acentuada diminuição de prazer nas atividades diárias). A sintomatologia evolui de forma cíclica, com intensidade. Quando a pessoa apresenta uma crise não consegue, na maioria das vezes, manter a sua rotina pessoal, profissional e familiar.

Episódio maníaco

Agitação psicomotora;

Sensação de aceleração do pensamento e discurso rápido e confuso;

Euforia;

Autoestima e autoconfiança acentuadas;

Diminuição da necessidade de dormir;

Descontrolo de impulsos (p.e.: gastos excessivos e comportamentos imprudentes);

Conduta sexual inadequada;

Comportamento paranoico;

Ideias de grandeza, sem relação com a realidade.

Episódio depressivo

Tristeza profunda e persistente;

Diminuição do interesse em atividades tidas como agradáveis;

Alterações no apetite (aumento ou diminuição);

Alterações do padrão de sono (insónia ou sonolência excessiva);

Dificuldades de concentração;

Cansaço ou perda de energia;

Sentimentos de culpa e impotência;

Pensamentos suicidas e de morte.

QUAIS SÃO OS FATORES DE RISCO PARA A PERTURBAÇÃO BIPOLAR?

A existência de perturbação bipolar na família é o principal fator de risco para o desenvolvimento desta patologia. Também os fatores ambientais e sociais - stress extremo, consumo de drogas e álcool e distúrbios do sono - podem contribuir para a sua manifestação ou desencadeamento.

A PERTURBAÇÃO BIPOLAR TEM CURA?

A perturbação bipolar é uma doença crónica. Através do tratamento com medicamentos estabilizadores de humor - com possibilidade de psicoterapia e psicoeducação -, há um controlo eficaz dos sintomas, permitindo que a pessoa se readapte e integre a doença na sua vida.

COMO POSSO AJUDAR O MEU FAMILIAR OU AMIGO?

Incentiva-o a procurar ajuda especializada;

Ouve-o, sem julgamentos. É importante validares o que sente, oferecendo o teu apoio e demonstrando compreensão;

Evita questões fechadas como “estás bem?”. Escolhe perguntas abertas que permitam que o teu familiar ou amigo se expresse livremente - “como estás?”, “como tens estado?”, “como te tens sentido?”;

Evita fazer comentários que desvalorizam os sentimentos da outra pessoa como “isso é passageiro”, “são só coisas da tua cabeça” e "tem calma". Em vez disso, mostra-te recetivo e compreensivo: "eu estou aqui para ti, podes contar comigo”, "o que precisas?", "como te posso ajudar?";

Avalia a necessidade de supervisionares a toma da medicação, uma vez que o seu abandono é bastante comum.

Durante um episódio maníaco, iniciar e manter uma conversa pode ser um desafio. Nestes casos, e quando o teu familiar ou amigo não equaciona pedir ajuda, deves ser ágil e fazê-lo por ele. Procura pelo Delegado de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde ao qual o teu Centro de Saúde pertence. Ele conseguir-te-á ajudar.

Obtém mais informação sobre como pedir ajuda e como prevenir o suicídio clicando aqui e aqui.

COMO ME POSSO AJUDAR?

Lidar com a perturbação bipolar do teu familiar ou amigo pode ser desgastante e solitário. Mas não tens de passar por isso sozinho/a!

Junta-te a nós! maria é uma comunidade online de familiares e amigos de pessoas com doença mental. Aqui, podes refletir e partilhar experiências com os que já passaram pelo mesmo.

Vem tornar-te mestre na arte de cuidar!